segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Você é feliz?

Naquela segunda, dormi um pouco mais, almoçamos mais tarde e conversei com Carol a tarde toda.
Carol, você é feliz? Começamos assim nossa conversa.
Você sabe que sim, respondeu-me de pronto.
Você se sente realizada? Continuei eu.
Sim, você também sabe que sim, Carol respondeu e continuou: mas o porque disso agora?
Querida, falei eu, esta semana começo a tratar com o José e Maria sobre o papel da mulher no casamento. Toda experiência que adquiri no gabinete pastoral, nos encontros de casais, nos mais diversos aconselhamentos, me permitem afirmar que grande parte das mulheres, talvez maioria, inclusos as mulheres cristãs, não se sentem felizes nos seus casamentos, mesmo amando seus maridos e se sentindo amadas. Falta algo para elas. O que pensa você sobre isso?
Acho que sei onde quer chegar, Maria começava a falar. Você sabe que no início me senti muito frustrada no casamento. Fazer meu doutorado, progredir na carreira e ser mãe e esposa eram objetivos inconciliáveis. O mestrado saiu à fóceps, muito esforço e muito cansaço, lembra-se? Você estuda, adquiri um nível de conhecimento alto e acaba por abrir mão de sonhos, sufocando suas realizações profissionais, isto tudo para ser esposa e mãe. Somente o conhecimento do propósito de Deus para a mulher no casamento e uma ação poderosa dEle na vida dela poderão lhe dar esta felicidade no casamento. E quando digo ação de Deus na mulher é porque a rebeldia dela e seu egoísmo serão os obstáculos a serem vencidos.
Apesar de saber que tinhas estas questões muito bem resolvidas, quis te perguntar para te ouvir sobre isto, disse eu.
Sabe Adriano, Carol prosseguiu, quando entendi os planos de Deus e experimentei que eles são mesmo bons, agradáveis e perfeitos, quando deixei Deus me conduzir e não eu conduzir Deus, só então comecei a sentir gozo e alegria de verdade no casamento. Tomei consciência de que não era inferior por ser mulher, de que meu papel no casamento era nobilíssimo, de que Deus estava comigo para eu ser esposa, mãe, amante, amiga e companheira. E tenho que confessar, você me ajudou muito.
Carol, era eu quem falava agora, já emocionado, não entendo este Amor absurdo de Deus por mim. Eu fiz tudo para jogar fora tantos tesouros, a começar por você, mas Ele não deixou e preservou. Ele aperfeiçoou eu e você, para que fôssemos o melhor um para o outro. Falhei muito contigo, errei demais, me emociono em pensar que Deus não desistiu de mim e não me deixou entregue a minha própria sorte e que você também não desistiu mim, acreditou em mim e investiu em mim. O que sou, aliás, tudo que sou devo a Deus e a você. Não te mereço.
Nesta altura Carol chorava e eu também, ela então saltou pra cima de mim e me abraçou e nos beijamos.
Refeita, Carol continuou: Tu sabes que minha mente é aberta e que penso no quanto a mulher tem contribuído para que tenhamos um mundo melhor. Não sou feminista, mas sei que a mulher é tão capaz quanto o homem. Mas também sei que ela tem a mais sublime das missões, ser mãe, educar, formar uma vida e entregar à sociedade. A mulher será feliz e completa no casamento quando ela entender e aceitar aquilo que Deus lhe confiou para fazer na Sua mais espetacular idéia, a família.
Carol continuava: sim, querido, sou feliz e realizada. Sou feliz por viver o plano de Deus e realizada por ter contribuído para aquilo que nossos 2 filhos são hoje, cristãos seguros e comprometidos, cidadãos honrados que trabalham para que a sociedade seja melhor. Nossos filhos são “Sal da Terra” e “Luz do mundo”. Que tola seria se tivesse trocado isso pelo título de doutora e tudo mais que a vaidade e orgulho um dia me fizeram desejar.
Aquela foi mais uma das tardes que não me poderei esquecer. Conversamos muito num nível de profundidade elevado, choramos, rimos e fizemos amor. Isto não tem preço.


SCM
22/09/2014

2 comentários:

  1. Já tinha lido isso em algum lado :P
    E adoro!!!
    Te amo pai!!!

    ResponderExcluir
  2. Oh! Filha. Te amo tanto. Que bom que vc percebeu. O importante é se as pessoas entenderão a mensagem, principalmente as esposas. Bjs, linda.

    ResponderExcluir